fbpx

Porquê mobiliário adaptável?

A UPA Kids nasceu duma necessidade que sentimos, enquanto pais, de encontrar mobiliário que se adaptasse ao crescimento dos nossos filhos. Vivíamos num apartamento, com espaço limitado, e apercebemo-nos que a maior parte do mobiliário que tínhamos comprado para os nossos filhos rapidamente deixava de servir. Não nos fazia sentido mudar constantemente de mobiliário para que se adequasse à dimensão das crianças. Primeiro, pelo impacto que essas mudanças têm no ambiente e na utilização intensiva de recursos naturais, que são, cada vez mais, escassos. Segundo, porque a maior parte de nós não tem espaço em casa para guardar as peças que já não servem. Por último, pelo impacto económico que esses gastos financeiros acumulados representam para as famílias.

Quando o nosso filho mais velho começou a escrever, decidimos procurar uma secretária e uma cadeira que se pudessem adaptar ao seu crescimento. Não encontrámos uma alternativa viável para aquilo que procurávamos e, foi assim que desenhámos e concebemos a primeira cadeira e secretária UPA Kids.

O objectivo de desenharmos mobiliário adaptável ao crescimento das crianças é aumentar a vida útil dos produtos, reduzindo assim o impacto económico, social e ambiental. 

De acordo com a norma europeia em vigor, uma peça com dimensões fixas, como uma cadeira ou uma mesa para uma criança pequena, têm um tempo de vida útil de um a dois anos, sendo este ciclo de produto válido até aos 10 anos de idade. A partir daí, até aos 14 anos, o tempo de vida útil de peças como cadeiras e mesas é ligeiramente superior, indo até aos dois ou três anos. Se se procurar obter os níveis de conforto definidos na norma com base em peças de mobiliário de dimensões fixas, implica a compra de cinco a sete cadeiras e mesas diferentes, ao longo do período de desenvolvimento da criança, tendo como consequência o aumento dos níveis de resíduos e do espaço ocupado em casa.

O mobiliário UPA Kids acompanha o crescimento da criança e por isso evita a aquisição de diferentes peças de mobiliário ao longo do tempo, reduzindo assim custos e desperdício e contribuindo para a sustentabilidade do planeta.

De forma a assegurarmos um bom desempenho das peças, há aspetos fundamentais que têm de ser garantidos.

1. Ergonomia

Desenhar mobiliário adaptável ao crescimento da criança, e às alterações físicas que vão surgindo ao longo do tempo, passa por garantir que este se pode transformar, apoiando a criança em todas as idades.

Hoje em dia, as crianças são menos ativas e passam mais tempo sentadas, a brincar e a estudar, enfrentando problemas de postura, que se refletem em dores de cabeça, pescoço e costas, ao utilizarem mobiliário que não é o indicado. Nesse sentido, a ergonomia tem um contributo fundamental na criação de mobiliário infantil, ao melhorar a relação entre a criança e o equipamento.

Por outro lado, as cadeiras, as mesas, as camas e outros móveis presentes no dia-a-dia da criança, influenciam os seus comportamentos e atitudes. O conforto físico é fundamental para um desenvolvimento saudável e para o bem estar psicológico.

O crescimento das crianças acontece de forma gradual e a informação acerca das medidas físicas do corpo humano (antropometria) é fundamental para o desenho de mobiliário ergonómico. No desenho das peças da UPA Kids, seguimos as normas europeias em vigor, que definem os parâmetros do mobiliário apropriados, de acordo com a estatura do utilizador. 

Quando a criança está sentada numa cadeira e não consegue apoiar os pés no chão, o fluxo de sangue para a parte de baixo das pernas e para os pés é restrito, causando desconforto e dormência e, a longo prazo, um maior risco de complicações de saúde. Por outro lado, se o assento é demasiado baixo, há um maior risco das mesmas adotarem uma posição relaxada quando estão sentadas, gerando desconforto e falta de concentração, no curto prazo, e dores nas costas e complicações musculo-esqueléticas, no longo prazo. Da mesma forma, há um racional para a profundidade, largura e inclinação do assento, bem como para o encosto e para a zona de suporte lombar, que deve ser respeitado de forma a prevenir que as crianças adoptem uma postura incorreta. É importante garantir que os mais novos têm sempre os pés bem assentes no chão e o suporte de costas e lombar adequado. 

No caso das secretárias, é fundamental garantir que a largura e a profundidade da superfície de trabalho é suficiente para colocar todos os papéis, livros, materiais e equipamentos necessários. No conjunto, é importante garantir que a distância entre o assento e a superfície de trabalho é a correta para que a criança possa apoiar os braços confortavelmente no tampo da secretária, tendo espaço suficiente para as pernas.

2. Segurança

Em especial no design para crianças, é fundamental assegurar a sua protecção e segurança. Os mais pequenos gostam de utilizar o mobiliário como parte integrante da sua brincadeira e por isso é importante privilegiar formas que assegurem conforto e estabilidade. A opção por esquinas arredondadas, em vez de esquinas vivas, é um bom exemplo, não só por questões de segurança, mas também para garantir a durabilidade do equipamento.

Por outro lado, é muito importante que o mobiliário infantil não tenha peças soltas, ou elementos  pequenos e facilmente removíveis, que podem ser acidentalmente ingeridos pelos mais novos. Outro aspeto importante a ter em consideração, é a estabilidade das peças contra tombamento.

3. Qualidade

Uma proposta de mobiliário que possa “crescer” com os mais pequenos e que possa permanecer na vida das famílias durante um longo período de tempo, tem de ter um design robusto que resista a uma utilização intensiva com boa aparência.

A escolha dos materiais é um fator fundamental, na medida em que determina não só a qualidade mas também a possibilidade tornar as peças adaptáveis através de mecanismos de encaixe, ajuste, etc.

A qualidade e a resistência adquirem-se utilizando materiais duráveis, tal como a madeira. A madeira, possibilita soluções multifuncionais e evolutivas, para além de ser um material sustentável.

Além disso, é fundamental a escolha de acabamentos não tóxicos, que possam pôr em risco a saúde da criança. Este fator é particularmente importante em crianças mais pequenas que podem colocar a boca nos objectos.

Por outro lado, a fácil limpeza e manutenção das superfícies são outros fatores a ter em conta, num equipamento que se pretende que seja durável. As crianças são muito ativas e as mais pequenas tendem até a brincar e a comer no mesmo sítio.

Um vez que o mobiliário adaptável precisa da intervenção humana para se transformar, é importante a escolha de materiais leves, que facilitem não só o transporte, mas também a montagem em casa.

O mobiliário UPA Kids é fabricado em contraplacado de bétula, de elevada resistência e proveniente de florestas sustentáveis. O acabamento é em laminado de alta-pressão (HPL), que lhes confere uma protecção extra e permite uma fácil limpeza e manutenção. Para proteger os topos do contraplacado, usamos um produto natural feito de óleos vegetais, que não contém elementos tóxicos nem cheiros.

Em conclusão, o ambiente familiar é um importante local de crescimento e, uma vez que o mobiliário auxilia várias atividades infantis, é crucial garantir a ergonomia, a segurança e a qualidade destas peças.

Por outro lado, o aumento do ciclo de vida dos produtos, ajuda a conservar os recursos do nosso planeta. O design, aliado à utilização de materiais resistentes e duráveis, pode prolongar a vida útil do mobiliário de criança, diminuindo o impacto ambiental e promovendo a reutilização. 

Este conceito de ecodesign, aplicado ao mobiliário infantil, é o que está por trás do desenvolvimento dos produtos da UPA Kids. Acreditamos que projetar mobiliário pensando no longo prazo, vai certamente trazer-nos um futuro mais sustentável e esse é o nosso contributo para a sociedade.

Pode saber mais acerca dos nossos produtos aqui:

Deixe uma resposta

Close Menu
×
×

Cart